sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Descanso

Hoje precisei parar tudo que estava fazendo e escrever. Tem algo mais libertador que isso? As horas não passam, o dia não acaba logo, a noite nunca mais chega.  É um grito de socorro, ao perceber que é inevitável esse sufoco. 


Preciso escrever coisas que não posso citar e gritar em momentos que preciso me conter. Reprimida em um silencio que retarda emoções. Farta. Turbilhão de pensamentos que pesam pós e contras em balança desregulada. E somado a dor de morte, em estado incomum esse meu coração. Quem dera poder viajar, nas nuvens e pisar apenas em locais que me ofereçam conforto. Descansar enfim, sem ouvir vozes de promessas vis. Alguma lacuna onde eu pudesse me enfiar e não sair até que a guerra esteja entrando em acordo de paz. Quantas palavras mais são necessárias pra dizer que cansei. De coisas desnecessárias e momentos mal vividos, tem me deixado saturada. Evite, mas não sempre, ter motivos de sobra e chegar ao estopim das situações, onde estou agora. Para mim mesmo despertar tão cedo e desistir de sonhos que agarrei e se foram por entre meus dedos. Isso não basta, palavras não foram escritas pra que corações fossem poupados. Mas eu juro, eu voltaria e viveria cada dia.

2 comentários:

retratando disse...

Que texto é esse? brilhante flor. Te ler é sempre delicioso e inspirador. Realmente escrever é um escape da rotina sufocante que nos é imposta,sem direito de escolha.

Blogueira Fajuta disse...

Espero que você esteja com o coração mais tranquilo. Quero falar com você. Você pode entrar no MSN quarta à noite.

É um desabafo doce.