quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Carta ao Legalista

 Cada um interprete como preferir!
Uma vez eu me apaixonei por Jesus e quando estava a ponto de entregar tudo de mim a Ele, os tabus que ditou me impediu pra que fosse saciado mais um de seus desejos. Esse seu discurso mercenário, me induz a cometer loucuras em busca de satisfação.
Quem será que guia sua pregação? Quem comanda os desejos do seu coração?
Há sempre pensamentos e questões, dúvidas constantes. Jesus não foi o fundador da religião, Ele era livre de mais pra conviver com algo assim. Meus conceitos e valores estão baseados Nele, a Bíblia assim me ensinou como andou.
Transgredir a visão sobre igreja, nada mais me prende em um local feito de tijolos. Sentada por algumas horas. Apenas a comunhão.
Continua persuadindo, vendendo bençãos já recebidas, amaldiçoando o povo salvo e desfazendo o sacrifício da cruz. Cultos onde prega sua visão julgadora no púlpito, me forçando sutilmente a não pecar, por meios fúteis. O que importa, não é o amor? Pelo Amor eu me esforço a não pecar. Espírito não é liberdade? Então deixe operar. Deixa Deus moldar o caráter cristão.
É simples, não existe poção mágica, nem óleo ungido nas estrelas que muda de cor e tira os pecados. 
E se me mostro imperfeita a frente dos engravatados, a condenação é árdua. Por isso me escondi. Talvez a prostituta devesse se esconder também.
Cansada das repreensões e de regras baseadas em sua teologia barata. Você se prendeu nesse quadrado, com calos na mente e as conseqüências desse vazio são milhares de seguidores não pensantes. Legalistas passivos.
Até quando vai corroer e complicar o evangelho? Quando vai simplesmente Amar?

3 comentários:

Blogueira Fajuta disse...

Perfeito! Perfeito! Perfeito!

Victóoria ' disse...

meeus parabéns, srtª cah' cada dia melhorando muito ... :)

jonathandot disse...

Bem legal o texto.