quinta-feira, 17 de novembro de 2011

Dedico-te




Dedico de um olhar do alto ao rio, o sol que passa sobre a cortina e chega até mim e vai ao outro lado da janela, a neblina da noite, o luar manhoso cuidadoso sobre ti e o casebre na mata. 
 Quero eu sempre a loucura de querer-te tão perto, mais do que a física pode explicar. E continue quando não tiver mais um dente sequer e bom humor de sobra pra dizer ‘Bom dia véio’ 
Dedico as tardes caseiras e preguiçosas, meu jeito desajeitado de escrever e meus pensamentos já cansados de trabalhar.As torturas das frases soltas inacabadas, meus pés frios sobre os teus, um desatino, tantas incertezas.
 Quero a insanidade de possuir loucura todos os dias e te tocar com minhas palavras, mesmo que não tenha mais vida. 
Dedico-te meu querer imaturo, ainda menina.



Espero que o tempo passe
Espero que a semana acabe
Pra que eu possa te ver de novo

Espero que o tempo voe
Para que você retorne
Pra que eu possa te abraçar
E te beijar
De novo


.Nando Reis.

Um comentário:

Blogueira Fajuta disse...

Carol, você está cada vez mais talentosa, sempre me surpreendo quando leio seus poemas, seus sentimentos transformados em palavras.

A música do Nando Reis eu também gosto muito.

Um beijo, menina.