sábado, 22 de janeiro de 2011

Inocência

Eu te vi nos meus sonhos, no mais íntimo dos meus desejos.
Estive passeando nesse jardim de confusões, esperando o dia de te poupar dos meus cuidados.
Mas você é como uma criança que devo guardar dos males do mundo. Você sou eu.
Quando te perdi, eu me perdi. Enlouqueci.
A santidade é como uma bússola. A vontade de te resgatar permanece.
Pureza, por onde caminhas agora? Lado a lado com a inocência.
Se pegardes o caminho mais longo ao céu, me avise, não posso voltar pra casa sem você.
Espero noticias suas, desde o dia em que te vi partir, prometeram pra mim a eternidade e foi esse o meu adeus.
Não voltes a se entristecer comigo.
Menina, não se afaste de mim novamente.

O tesouro mais valioso está escondido!
(Grata meu caro Pagano)

4 comentários:

Blogueira Fajuta disse...

Muito bonito, é seu Carol?

Carolina Prestes disse...

sim, sim. aqui só posto coisas minhas, quando ha exceções eu sempre coloco a fonte. Dediquei ao meu amigo apenas a frase, gerou grande impacto na minha vida. Gabriel Pagano meu best.

Blogueira Fajuta disse...

Muito bonito mesmo. Reconheço em você uma poeta NATA.

Carolina Prestes disse...

Oh, obrigada Flor. mas preciso melhorar muito rs